Sábados passados

Standard
sono do snoopy

sono do snoopy (imagem da internet)

Abrigo

Quando me sinto sozinho,
A razão me cega e mente.
Quero o simples, peço mimo.
Em noite fria encostar umbigo.

Quando me sinto sozinho,
minha vida para de repente.
Sábado longo, tempo infindo.
Vou me afogar no sono e
da dor, esconder abrigo.

Poema lembrado em tempo oportuno

Standard
Edvard Munch Melancolia

Melancolia, Edvard Munch

Poeta do Improviso

Mataram a felicidade no dia em que alcancei o topo.
Tapo a boca, arregalo os olhos.
Volto ao começo e reinicio a jornada.
Dessa vez, espero contar com mais sorte.
De talento se vive muito…
Mas sem a boa companhia, tudo para, tapa.
Topo a vida e que venham oportunidades.
Brinde ao juízo e morte ao desnecessário.
Bom reparar nossos erros e tapar buracos.
Lastimo a falta de rima e louvo esse eco tolo.
Sou mais um poeta do improviso e amante do todo.

Porque estava contrariado

Standard
Rosa púrpura do cairo

Frame do filme "A Rosa Púrpura do Cairo" (The Purple Rose of Cairo, dir. Woody Allen, 1985, Austrália)

Meu Cinema

Quero um pouco de decência para vibrar meu sonho em realidade.
Cortar a janela aleitada e preencher ideias em mentes inquietas.
Quero a minha impressão perdurada dias, noites e décadas.
Viver o agora, sem demora, no inusitado ser lembrado centenas.

Quero rir do deboche, do pouco caso e depois agradecer.
Sim! Quero retribuir o carinho daqueles que torcem.
Ser o que penso, prezo e não aquele que ocupa e retrocede.
Fazer do meu modo, do meu jeito e ser o espelho no fim.
Das linhas mais belas, antigas, tremidas, estáveis e novas.
Projetar o que sou e fazer aquilo que amamos, cinema.