Aquele que por dias esperou

Standard

Uma palavra

A desculpa não veio.
Na ausência, fechei-me em silêncio.
Duro varrer em palavras, o perdão.

A desculpa não veio.
Na pressa, escondi o mundo.
Triste encarar em defeitos, o amor.

A desculpa não veio.
Na angústia, procuro outros meios.
Fácil medir em extremos, o outro.

A desculpa não veio.
Na espreita, dissimulo o sábio.
Amargo abraçar desafetos, a dor.

A desculpa, por fim, veio.
No tato, desafoguei meu suspiro.
Finalmente encontrei no tom, uma palavra.

(poema revisado “Uma palavra” de novembro de 2008)

 

A palavra

 

A desculpa não veio.
Na ausência, fechei-me em silêncio.
Duro vasculhar em palavras, o perdão.

A desculpa não veio.
Na pressa, escondi o mundo.
Triste encarar em defeitos, o amor.

A desculpa não veio.
Na angústia, procuro outros meios.
Fácil medir em extremos, o outro.

A desculpa não veio.
Na espreita, dissimulo o sábio.
Amargo abraçar desafetos, a dor.

A desculpa, por fim, veio.
No tato, desafoguei meu suspiro.
Finalmente encontrei no tom, a palavra.

 

(poema revisado “Uma palavra” de novembro de 2008)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s