Poema dedicado à amizade

Standard
chaplin o garoto

O garoto (The Kid, dir. Charles Chaplin, 1921)

Dividir

Quero saber dos seus mistérios
e somente arrancar sorrisos
desses olhos por vezes sérios,
tristes, sóbrios e contemplativos.
Da vida, precoces sentidos
que aqui, por nós, queremos e
dividimos.

Quero explorar a intimidade.
Compartilhar o vivido e divorciar o sofrido.
Entrelaçar carinhos bobos, solícitos.
Aclamar leituras, sons e versos polidos.
Para fazer-te bem, paz e amigo.
A vida, que de novo, insisto e repito
dividimos.

Poema cantado pelos anjos

Standard
anjo barroco

Anjo Barroco

Ponta do céu

No quintal de minha casa fica a ponta do céu.
Na extremidade onde linhas românticas se afinam e se entrosam.
Um pedaço maior que a imensidão de meu pensamento.
Lá onde anjos de cabelos encaracolados se abraçam e cantam melodias de ricas rimas.
Entoando um vocabulário de idiomas distintos para ressaltar o meu afeto.
Nobre canto de líricos gracejos.
Quero minha língua enriquecida de adjetivos.
Sou um pedaço desse céu de onamotopeias infinitas que a cada dia se despedaça em flores e em chuvas.
Deixando minha natureza ainda mais bela e alentada pelo desejo.
Oh céu distante e agora perto que as vezes desperto!
Novo reino de inventividade que brotou em janeiro e jardineiro quer deixar meus dias ainda mais coloridos.
Longe da terra e do dissabor de ser pequeno.
Moro no local onde habita a ponta do céu.
Que esta seja a ponte de minha felicidade e de todos aqueles que semelhantes tenham a curiosidade…