Poema dedicado aos arremessados da cama

Standard
Ilustração de Sara Fratini

Ilustração de Sara Fratini

Apaixonada preguiça

Esta manhã a preguiça me acordou com um soco no rosto.
Jogou-me para fora da cama e ainda me deixou de olho roxo.
Rodela roxa vergonhosa e no cotovelo o doído desprezo.
Por que machucar o trabalhador que tem na cama seu amor?

No chão, rastejado até a porta, busquei a dignidade que restava.
Mas ela voltou, segurou minha perna e fez destino o chuveiro.
Água atrevida, quanta teimosia pra esquentar! Ao léu eu gritava.
Terminado lamento, lágrimas secas, hora do café costumeiro.

Sentada, a preguiça me fitava com os olhos de paquera.
A ira me cegava, mas a fumaça do café era tão amorosa.
Orgulhosa, ela dizia ter a bebida preparado e adoçado.
Saborosa. Preguiça sua filha da mãe! Não vá embora!
Pois eu já me acostumei com a sua insistente parceria.
E fazer o quê? Melhor relaxar e aproveitar a companhia.

Anúncios

Para aqueles que foram conquistados pelo céu

Standard
Ilustração Estrelles de Murta Turan

Ilustração “Estrelles” de Murat Turan

Por ti apegado

Esta noite o céu me beijou e sussurrou ser meu par.
Desapegado, emprestou estrelas para me acompanhar.
Quebrada rotina, tenho inesperado rumo e sossego.
Areia umedecida, no pé vira cola por entre os dedos.

Tão salgado! Gelado mar vem testar meu calcanhar.
Natureza paquerada me deixa feliz este seu cheiro.
Vida longe cansativa e de perto cores para passeio.
Sensibilidade repentina tem no peito o seu lugar.

Poema encaixado numa intercessão

Standard

 

Metrô. Ilustração de Sophie Blackall

Metrô. Ilustração de Sophie Blackall

Labirinto

De um polo a outro procuro ocupar meu espaço.
Entre tantas diferenças quero ver se me encaixo.
Rostos são vírgulas em frases de sentidos abstratos.
Almas têm cor e pintam corpos de figurinos variados.

Quantos universos cabem dentro de um vagão?
Vidas são círculos e mundos estão em intercessão.
Falas são ecos e murmúrios fecham uma canção.
Canhestra, mas tão cotidiana, uma fácil imersão.

Daqui a pouco desço e sigo para meu objetivo distinto.
Posso ser acompanhado, despercebido ou até seguido.
Rumos tem curvas, mas também tem retas e libido.
Quem sabe serei dois no meio de um coletivo labirinto.

Quando no meio do teclado encontrou o atalho

Standard
 Hedonismy Trojaner - Babis

Hedonismy Trojaner – Babis

Depois da tecla ESC

Não, eu não quero saber.
Desliga, por favor.
Deixa de lado e não me reconecte.
Desapegue, pois esperanças eu perdi.
Mude de página e por outras trafegue.
E o nosso status, não atualize.
Já esqueci a função F5.
E outros atalhos do teclado quis perder.
Siga com seus próprios botões
que com os meus, depois eu brinco.