Poema para ser lido enquanto se dá uma volta

Standard
say-ah

Recorte de "Say-ah", de Jason Jägel

Sobre o poeta que lembrou de exclamar
ou
O poema que cresceu manco

Ah! O perfume do café…
Que fissura essa na sala de espera!
Mas estou fora do contexto, este pretexto
é fazer comédia e saltar o gosto, bom.
Sou poeta pequeno do signo de ar.

Sou também cria e agora pretérito.
Que se encontra sobre o quebra mola.
E, na farra, usa no começo e prossegue,
aos tropeços, até encontrar no fim do
seu manco poema, aquele tal do “Ah”!