Aquele que atropelou as palavras

Standard
The tree lyrics

The Tree lyrics (ilustração de Alessandra Cimatoribus)

Truncado

Há dias em que as palavras não casam umas com as outras.
É um atropelamento desengonçado e descontrolado.
Descompassado, tento retomar meu eu correto.
Duvidado e ligeiramente amuado procuro ser mais atento.
Indago o motivo. Não podem as sílabas nascerem sóbrias?
Palavra com palavra, em sintonia como namoro recém começado?
Mas não. Elas preferem esta repetição destreinada e teimosa.
Descontruindo o que sou e vendendo a imagem incorreta.
Correta é minha vida cheia desses atropelos e pequenos defeitos
involuntariamente charmosos que me tornam único e canhoto.
Sou destro e afoito atesto que, mesmo contra,
este aborrecido gaguejo em outras histórias será repetido.
Tem dias em que as palavras não casam umas com as outras.
Porém há dias em que elas se unem firmes e completas
e fazem de minha boca um berço de palavras direitas e diretas.

Algumas palavras filtradas

Standard

Poema para descomplicar

Descomplicar-me
Ser simples e direto
feito uma corda reta.
Direta. Sem nós e quebras.
Talentoso e modesto.
Forte e seguro.
Tantas qualidades…
Quase perco o rumo.
Ser eu e nenhum outro.
O sábio e o aprendiz.
É tempo de filtrar o impulso,
de estar em equipe
e ser aquele que diz:
Obrigado.
Meu tempo é esse.
Bem educado,
faço essa minha escola, sem colas.
Descomplicado.
Depois de tanto sufoco,
hora de inspirar mais um pouco.
Que alívio!
Estou com algumas palavras filtradas.
Moderado, vou recomeçar assim.
Tão fácil e inacreditável que…
complicado mesmo, foi encontrar esse fim.