Para aqueles que já admiraram a aurora

Standard
Foto de Andrew Lyman da série "Fleeted Happenings"

Foto de Andrew Lyman da série “Fleeted Happenings”

Invisível

Estranho, devagar e inevitável, as estrelas interromperam seu piscar.
Feito cordas puxadas de abajures, uma a uma, até o brilho perder lugar.
Do lado de fora da cabana, o mato chorado e os pássaros acordados.
Na hora do despertar acostumado quis o sol, além da serra, me flertar.

Caminho sozinho entre gramas, solos e espinhos saudosos de papinho.
Ventos são vozes, cores e na pele batem arrepios de modo imprevisível.
Insetos instáveis viram notas, pontos vermelhos, mimetizes a antíteses.
Enquanto viro folhas, tronco, pulmão, um resíduo do céu, o ser invisível.

Anúncios

Para aqueles que foram conquistados pelo céu

Standard
Ilustração Estrelles de Murta Turan

Ilustração “Estrelles” de Murat Turan

Por ti apegado

Esta noite o céu me beijou e sussurrou ser meu par.
Desapegado, emprestou estrelas para me acompanhar.
Quebrada rotina, tenho inesperado rumo e sossego.
Areia umedecida, no pé vira cola por entre os dedos.

Tão salgado! Gelado mar vem testar meu calcanhar.
Natureza paquerada me deixa feliz este seu cheiro.
Vida longe cansativa e de perto cores para passeio.
Sensibilidade repentina tem no peito o seu lugar.

Poema para quando houver brecha à fantasia

Standard
Leicia Gotlibowski - Ilustrata

Ilustração de Leicia Gotlibowski

Pequena viagem de sentimentos inusitados

A mente chocalhou quando a árvore abraçou o ônibus.
Éramos passageiros engolidos por um novo mundo à parte.
Semelhante a um túnel negro cortado por luminosos pontos.
E mais focos de variadas cores chamativas e escarlates.

Impregnados neste inédito terreno de fantasia e curiosidade.
Cercados, éramos vagalumes em busca de conhecimento.
Até seres invisíveis virem na intenção de nos despir.
E de despertar nos abdômens aquela estranheza feito cócegas.

Constrangidos, preferimos retomar os conhecidos ares sérios.
Todavia perplexos neste universo de sentimentos inusitados.
Lembro-me de alguém agarrado à minha mão e de modo tímido sorrido.
Para assim respirar a emoção e, sem pressa, visitar minha libido.

Mas a derradeira luz se aproximou e estelar tomou o carro.
Fomos arremessados à avenida e novamente confundidos ao coloquial.
No meio de tanta pressa, ruído, cimento, todos isentos de argumentos.
Resignados ao simples, corriqueiro, movimentado, julgado e carnal.