Poema para mentes fantasiadas

Standard
"Leyendo metro", ilustração de Leah Piker

“Leyendo metro”, ilustração de Leah Piker

Habituada

Ela adormeceu logo após a primeira curva.
Condução lotada e barra feito travesseiro.
Já estava habituada à rotina de sacolejos.
E não mais sentia medo de ir por inteiro.

Sonhos travessos para metamorfosear.
Rostos estranhos em amigos do peito.
Ruídos grosseiros em cantos perfeitos.
Pisos degradados em nuvens de afofar.

Palavrões viram balões para estourar.
Fones no ouvido para corpo flutuar.
Um esbarro cria um passo inusitado.
E com outros, um ballet improvisado.

Inventividade para apagar tormentos.
E fé para seguir seu planejado intento.
Um sorriso capaz de mudar o momento.
E fazer da jornada diária, agradecimento.

Anúncios

Poema cantado pelos anjos

Standard
anjo barroco

Anjo Barroco

Ponta do céu

No quintal de minha casa fica a ponta do céu.
Na extremidade onde linhas românticas se afinam e se entrosam.
Um pedaço maior que a imensidão de meu pensamento.
Lá onde anjos de cabelos encaracolados se abraçam e cantam melodias de ricas rimas.
Entoando um vocabulário de idiomas distintos para ressaltar o meu afeto.
Nobre canto de líricos gracejos.
Quero minha língua enriquecida de adjetivos.
Sou um pedaço desse céu de onamotopeias infinitas que a cada dia se despedaça em flores e em chuvas.
Deixando minha natureza ainda mais bela e alentada pelo desejo.
Oh céu distante e agora perto que as vezes desperto!
Novo reino de inventividade que brotou em janeiro e jardineiro quer deixar meus dias ainda mais coloridos.
Longe da terra e do dissabor de ser pequeno.
Moro no local onde habita a ponta do céu.
Que esta seja a ponte de minha felicidade e de todos aqueles que semelhantes tenham a curiosidade…

Àquele que se confundiu escultura

Standard
Lone Fisherman statue Julie Grace

"Lone Fisherman statue" de Julie Grace

Em tempo de pedra

Na beirada do lago emerge uma pedra.
Pedra truncada com fissuras e ranhuras.
Por cima desta, a forma de um homem
encurvado na mesma cor e textura.

Homem de alma turva e confundida.
Com nós na língua e nada na barriga.
Alonga as vértebras na luz da matina
para ser lagarto em paisagem vazia.

Na ponta do anzol o peixe perseguido.
Na testa o suor salgado ainda aflito.
Alma de pedra se quebra em agito
para ganhar vida em terreno criativo.

Para aqueles que foram acordados pela inspiração

Standard
peter pan

Ilustração de Peter Pan

Aconchego

Hora boa para acordar e pedir chamego.
Deixar a cama bagunçada e voar em ideias.
Esticar os braços, as pernas, sentir o corpo.
Ser alma, afeto e tudo de bom aos poucos.

Hoje acordei para bagunçar a noção do outro.
Soltar a criatividade e moldar meus planos.
Antigos e novos, tempos frescos e recomeço.
Mais confiante sinto transpirar felicidade.

Abraço meu travesseiro, a casa que reconheço.
Esta casa solidária novamente um abrigo.
Aos amigos que acolheram recente projeto.
Inspiração! Essa motivação é meu aconchego.