Uma desculpa para escrever você

Standard
Primavera de Brian Wildsmith

Primavera de Brian Wildsmith

O velho jardim da nova casa pronta

Convidei-a para atravessar o jardim da nova casa pronta.
Terreno perigoso, ameaçado por chuvas de broncas.
Ela não hesitou e segurou ligeira minha mão de bobeira.
Então me levou até o muro riscado pelos irmãos Poeira.

“Apenas me dê um impulso que eu alcanço o topo torto”.
“Tá bom!”, dedos cruzados transformados em degrau frouxo.
Ela pulou e atravessou correndo sem esperar sufoco.
Deixou pra trás risadinhas que no passar sumiam aos poucos.

Saltei o muro e no topo restou parte de minha blusa limpa.
Segui rapidamente feito lebre com medo de perder a frente.
E lá estava ela, ajoelhada diante do córrego de espelho.
Castigo terem fechado o muro e nos privado deste evento.

“Lindo demais, não? Ainda sinto falta daqueles mergulhos.”
“E por que não?”, ela tinha esse jeito assim de adulto orgulho.
Não emendei, apenas adiantei e ao seu lado ajoelhei refém.
Era engraçado observar como era tão linda a criança atrevida.
Cheia de vida, idade ainda curta e com incríveis ideias ditas.
Soprei seu ouvido e o vento perpetuou o arrepio do final do dia.
As flores combinaram e doaram pólens perfumados em sincronia.

Pulamos para o interior do espelho e bagunçados atravessamos.
Os peixes nos acompanharam até o deck da casa do senhor Ramos.
“Você não pode subir aqui comigo! Senão à noite terei problemas.”
Ela seguiu pra casa e eu novamente peixe me transfigurei pequeno.

Lembranças deste tempo que quando jovens compartilhamos.
Hoje estamos em cidades distintas, vez ou outra, comunicamos.
Ela casada há pouco tempo e eu solteiro me fazendo homem.
Memórias em poesia pra ela que deixou no filho o meu nome.

Para ser lido em dias cinzas

Standard
Deserto na paisagem cinza-azul desempenho

Deserto na paisagem cinza-azul desempenho, Salvador Dalí

Poeta de frases infantis

Tenho me emocionado por pouca coisa,
Inusitado hábito, me virei do avesso.
Desperto sentimentos puros e prossigo atento.

Bom chorar em situações simplórias.
Estou vivo, constato a infantilidade.
Devolvo sorriso às lágrimas e faço meu momento.

Aprecio as humildes atitudes.
Abraço a música e reproduzo com alma.
Bom deitar a cabeça em colo fraterno.

Triste acaso, hoje meu dia amanheceu cinza.
Estou sem graça, me belisco numa enorme vontade.
Melhor pensar em alegrias e ser eterno…