Para aqueles que duraram o instante

Standard

No meio, uma ponte

Quis brincar de Deus e criar a própria noite.
Pintou o teto de estrelas e sussurrou noite.
Que fosse! Música escolhida para reviver.
Mesa posta, cadeira vazia e rotina sem flores.
Estremecida, única certeza dita assim, de repente…
Quis abrir a maçaneta, mas choveu a despedida.
Dois hiatos apaixonados, tristemente sufocados
por uma certeza perdida assim, de repente.

Anúncios

Quando quis imitar o som do coração

Standard
Ilustração de Roberto Weigand

Ilustração de Roberto Weigand

Tum-tum

A cabeça, o coração e o impulso.
No pulso, a batida de nós dois.
Depois de nos juntar e confundir.
E rir do tempo que fizemos juntos.

Mas muito há de somar e descobrir.
Por aí somos duas coisas simples.
Simples, porque preferimos assim.
A fim de ressaltar o amor em si.

Repetir e colar o ouvido no peito.
Isto feito, ouvir tim-tim por tim-tim.
Coladinhos, passando horas assim.
O som da vida ritmado do dó ao si.

Poema para antes de o holofote cegar

Standard
Leah Yerpe

Corpo em movimento. Arte de Leah Yerp

 

Fascinado

Seu movimento é encurvado
Forma de bicho e braço largo.
És gracioso, simples, aventurado.
Cada passo seu, um fascinado.
Tem rosto e nariz de gente.
Olhos úmidos e só sorrisos.
Tronco de molas, zero de costelas.
Vida de saltos e mais equilíbrios.
Seu trabalho é palco e coletivo.
Ritmado e em intercalados solos.
O suor por música batido.
Tem fim arte nos aplausos e grito.

Dedicado à poesia enciumada

Standard
Amor 2 de MaRitxeLL RibaS

Amor 2, ilustração de MaRitxeLL RibaS

Música incompleta

Sou uma música incompleta.
Composta por palavras solteiras
Sem acompanhamento, arranjo ou coral.

Sou uma música rarefeita.
Isenta de ritmo, melodia e efeito.
Apenas uma vírgula à direita e um zero alheio.

Sou a música sem o intérprete.
Carente do banco e do pedestal.
Sou a fala sem o teu carisma.
Sou o silêncio em verso atonal.

Sou a música endoidecida.
Esquecida e não compartilhada.
Sou também a subestimada sinestesia.
Um diálogo quebrado, longe de ser essencial.

Mas sou poesia e defendo significados.
E aguardo leitores para completa-los.
Gosto da identificação e defendo a catarse.
Namorado do princípio e amante do emocional.

Notas para salvar meu carnaval

Standard
notas para carnaval

Alegorias de Carnaval (internet)

Composição do indeciso

Gostaria de fechar o meu tempo em uma caixa.
E nela colocar músicas sortidas para compor esse indeciso.
Lacrar com fitas e depois mudar o assunto.
Tenho trabalhado tanto…
Parece que lá fora deixei o mundo das ideias.
Quando mal percebo, lá se foi o meu janeiro.
O primeiro que me puxou o fevereiro e seguiu carnaval.
Astral!
Olha que na verdade estou tão carnal.
Penso que me esqueci do verbo e agora me dilacero.
Para que me esforçar nesses versos de leitura crua?
Jura que depois você volta com o meu troco?
Tropeço neste contrato absurdo e paro com o sufoco rouco.
Sou pouco.
Vou encaixar mais essa parte na sinfonia das notas.
Para a caixa, quando aberta, revelar canções desconexas.
Todas sem o tom e completamente fora do ritmo.
Mas quem sabe, neste estranhamento, seja esse o nosso tempo…

Para ser lido em dias cinzas

Standard
Deserto na paisagem cinza-azul desempenho

Deserto na paisagem cinza-azul desempenho, Salvador Dalí

Poeta de frases infantis

Tenho me emocionado por pouca coisa,
Inusitado hábito, me virei do avesso.
Desperto sentimentos puros e prossigo atento.

Bom chorar em situações simplórias.
Estou vivo, constato a infantilidade.
Devolvo sorriso às lágrimas e faço meu momento.

Aprecio as humildes atitudes.
Abraço a música e reproduzo com alma.
Bom deitar a cabeça em colo fraterno.

Triste acaso, hoje meu dia amanheceu cinza.
Estou sem graça, me belisco numa enorme vontade.
Melhor pensar em alegrias e ser eterno…