Para aqueles que duraram o instante

Standard

No meio, uma ponte

Quis brincar de Deus e criar a própria noite.
Pintou o teto de estrelas e sussurrou noite.
Que fosse! Música escolhida para reviver.
Mesa posta, cadeira vazia e rotina sem flores.
Estremecida, única certeza dita assim, de repente…
Quis abrir a maçaneta, mas choveu a despedida.
Dois hiatos apaixonados, tristemente sufocados
por uma certeza perdida assim, de repente.

Anúncios

Dois pra lá, um pra cá

Standard
"Iluna", ilustração de Elisabetta Decontardi

“Iluna”, ilustração de Elisabetta Decontardi (Deco)

Inesperados

O meu pressentimento era apenas uma noite
Lamentável expectativa tão breve confirmada.
Logo hoje que vulnerável eu me encontrava.

Sorte bater em metade no tumultuado acaso.
Inesperados, são medidas e toques improvisados.
Mal acostumado, o lar teve destino apressado.

Delicado, o abraço testou o ciúme da aurora.
Doce calor apimentado na pele deixou sobra.
Despedida amorosa para quem ficou a demora.

Para aqueles que foram conquistados pelo céu

Standard
Ilustração Estrelles de Murta Turan

Ilustração “Estrelles” de Murat Turan

Por ti apegado

Esta noite o céu me beijou e sussurrou ser meu par.
Desapegado, emprestou estrelas para me acompanhar.
Quebrada rotina, tenho inesperado rumo e sossego.
Areia umedecida, no pé vira cola por entre os dedos.

Tão salgado! Gelado mar vem testar meu calcanhar.
Natureza paquerada me deixa feliz este seu cheiro.
Vida longe cansativa e de perto cores para passeio.
Sensibilidade repentina tem no peito o seu lugar.